Neurovertebral

Em muitos casos, as enxaquecas ficam sem diagnóstico por anos. Se você costuma experimentar sinais e sintomas de crises, converse com seu médico.

A enxaqueca caracteriza-se por uma dor severa, intensa ou pulsátil, que geralmente ocorre em apenas um lado da cabeça. Pode ser acompanhada por náusea, vômito ou extrema sensibilidade à luz e ao som. As crises podem causar dor significativa por horas a dias, incapacitando o paciente.

Sintomas de alerta, conhecidos como aura, ocorrem antes ou durante a dor de cabeça. Podem incluir flashes de luz, pontos cegos ou formigamento em um lado do rosto, no braço ou perna.

Essa condição afeta mais mulheres e tem alta prevalência na população jovem (12 e 40 anos). Medicamentos e mudanças no estilo de vida contribuem para prevenir algumas enxaquecas e torná-las menos dolorosas.

 

Sintomas

As enxaquecas geralmente começam na infância, adolescência ou no início da idade adulta. Podem progredir em quatro estágios:

Pródromo: dias antes da enxaqueca ocorre prisão de ventre, mudanças de humor (da depressão à euforia), compulsão alimentar, rigidez no pescoço, aumento da sede e micção, bocejo frequente.

Aura: alterações visuais, sensação de pontadas, fraqueza ou dormência na face ou em um lado do corpo.

Crise: dor de um lado ou de ambos da cabeça, dor que parece pulsátil, sensibilidade à luz e a sons, náusea e vômito, visão embaçada, tontura.

Pós-drome: ocorre após o episódio de enxaqueca e inclui confusão, tontura, sensibilidade à luz e ao som.

 

Quando procurar o médico

As enxaquecas são frequentemente não diagnosticadas e não tratadas. Se você costuma experimentar sinais e sintomas de crises de enxaqueca, mantenha um registro dos episódios e como os tratou. Em seguida, marque uma consulta com seu médico para discutir as dores de cabeça.

Consulte o seu médico imediatamente se:

  • A dor de cabeça for severa e abrupta
  • Dor de cabeça com febre, rigidez no pescoço, confusão mental, convulsões, visão dupla, fraqueza, dormência ou dificuldade para falar
  • Enxaqueca após uma lesão na cabeça, especialmente se a dor piorar
  • A dor de cabeça crônica piora depois de tossir e realizar esforço
  • Dor de cabeça diferente do usual, se você tiver mais de 50 anos

 

Causas da enxaqueca

Uma série de fatores pode desencadear o problema, incluindo:

  • Flutuações hormonais (estrógeno nas mulheres, por ex.)
  • Alimentação (excesso de sal, queijos envelhecidos etc)
  • Componentes alimentícios (aspartame, por ex.)
  • Bebidas (álcool ou cafeína)
  • Estresse
  • Medicações
  • Alterações bioquímicas do sangue

 

Diagnóstico

Além da avaliação clínica e histórico médico detalhado do paciente, o médico neurologista poderá solicitar:

  • Testes laboratoriais
  • Ressonância magnética
  • Tomografia de crânio

No entanto, não existem exames específicos que demonstrem a enxaqueca.

 

Tratamento

Os tratamentos de enxaqueca podem ajudar a cessar os sintomas e prevenir futuros episódios. Muitos medicamentos foram concebidos para tratá-la. As medicações usadas ​​para combater a enxaqueca se enquadram em duas grandes categorias:

Medicamentos para aliviar a dor: também conhecidos como tratamento agudo, consiste em fármacos administrados durante as crises para interromper os sintomas.

Medicamentos preventivos: devem ser administrados para reduzir a gravidade ou a frequência das enxaquecas.

 

Medicina alternativa

Terapias não tradicionais podem ser úteis se você tiver dor de enxaqueca crônica. Enquadram-se nessa categoria: acupuntura, massagem, psicoterapia (TCC), ervas, vitaminas e minerais, entre outras.

 

Fonte: Mayo Clinic

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário